segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O mensageiro e a mensagem





A primeira ordem de Jesus é "vem e segue-me". A última é "vá e pregue". A Igreja enfatiza muito a última ordem porque ela dá o sentido de missão e de propósito de ser da própria Igreja, mas há um perigo gigantesco em atender a essa ordem sem haver atendido à primeira antes.

Jesus nos constituiu pregadores a toda nação, tribo, língua e povo, mas também nos chamou para uma condição de filhos e filhas de Deus. É como filhos e filhas que levamos a mensagem ao mundo. Não somos um mensageiro cuja missão seja entregar uma mensagem que nem sabemos qual é, depois lavar as mãos e dar a missão por cumprida. Nós levamos a mensagem que vivemos. O Evangelho é pregado "em testemunho" (Mateus 24:14). Não somos meros veículos de uma mensagem; somos a própria mensagem, somos uma carta escrita de modo tal que todos que não abrem uma Bíblia a possam ler de forma inequívoca no nosso sorriso, nas nossas escolhas, na nossa conduta e nas prioridades que elegemos para nossa vida.

Às vezes penso em Noé. Pedro diz que Deus o constituiu "pregoeiro da justiça" e Hebreus afirma que pela sua justiça ele condenou os homens de seu tempo. Significa que Noé não apenas limitou-se a construir a arca segundo o modelo mostrado por Deus, mas que ele se ocupou de pregar a seus contemporâneos acerca do juízo que viria. Quando a chuva enfim veio, encontrou Noé e sua família abrigados na arca, o que significa, por outro lado, que Noé não apenas pregava. Chegava um momento em que ele pedia licença porque tinha uns pregos a pregar. Havia coerência estrita entre a pregação e a vida do pregador. Sua família notava isso.

A Igreja tem uma missão e essa missão envolve também pregar acerca de um juízo que está se aproximando. Haverá fogo como um dia houve água. A arca que há para ser construída hoje e que possibilitará passar incólume por aquele dia é nosso caráter. Poucos na igreja, contudo, pregam sobre esse dia. Menos ainda pregam e laboram na construção de seu caráter. Sem problemas. Não é preciso muitos, nem que eles sejam muito brilhantes. Só é preciso que eu esteja entre eles e o máximo de pessoas ao meu redor esteja também. Se eles puderem ler essa mensagem em minha vida, ótimo. Minha vida não terá sido em vão.

Mas só serei um mensageiro eficaz se antes eu tiver atendido à primeira ordem e tiver seguido Jesus, andado com Ele, passado horas e horas na Sua companhia, ouvindo Sua voz, admirando Sua ética e Seu caráter. Caso contrário serei um mero mensageiro, e não um filho dEle, e mensageiros não mudam vidas. A mensagem é que muda, com o poder do testemunho.
 
 
 
POSTADO POR PR. GENILDO ALVES.

Nenhum comentário:

Postar um comentário